TRADUZINDO

WebRádio Cultura Viva

domingo, 19 de julho de 2015

CHICO E O ÓDIO
















Vamos falar de ódio? Já começo dizendo, ou melhor, afirmando que tem muita gente hoje, dentro das imposições do senso comum, que está se revoltando com Chico Science. Sim! Chico Science! É só ouvirmos “MONÓLOGO AO PÉ DO OUVIDO”:

“Viva Zapata! Viva Sandino! Viva Zumbi!
Antônio Conselheiro! Todos os Panteras Negras!
Lampião, sua imagem e semelhança!"

Aí a pessoa do senso comum, que antes era louca por Chico, agora diz: “Só fala de arruaceiros!” “Sai daí, comunista!” “Vai embora, Ptralha!”
E quando escutam “BANDITISMO POR UMA QUESTÃO DE CLASSE”, vão querer desenterrar Francisco e jogar seus ossos em praça pública.

“(...)Acontece hoje
Acontecia no Sertão
Quando um bando de macaco
Perseguia Lampião(...)”
“(...)E quem era inocente
Hoje já virou bandido
Pra poder comer um pedaço de pão
Todo fudido(...)”

Os revoltados vão dizer: “Vão pegar o bolsa-família, bando de desocupados!” “Leva eles pra tua casa!”
E quando ouvirem “DA LAMA AO CAOS”? Vão surtar!

“(...)Ô Josué nunca vi tamanha desgraça
Quanto mais miséria tem
Mais urubu ameaça(...)”

Eles vão dizer que Chico apelou: “Pô! Josué de Castro? Basta de Josué!!!”
Bom... Não vou ficar surpreso. Até porque eles disseram: “Basta de Paulo Freire!”
Isso me fez lembrar-se de um cidadão que me disse outro dia, que “só foi preso, perseguido ou morto pela ditadura, quem era marginal ou maloqueiro”.
Sim! Voltemos a Chico! O pessoal do senso comum, quando ouvir “A CIDADE”, vai se revoltar de vez:

“(...)E a situação
Sempre mais ou menos
Sempre uns com mais
E outros com menos(...)”

“P... Chico!!! Que decepção! Essas críticas é coisa de comunista! É melhor cantarolar:
‘(...) e poder me orgulhar
E ter a consciência que o pobre tem seu lugar.”

E quando ouvirem “CORPO DE LAMA”?

“Deixai que os fatos 
Sejam fatos naturalmente
Sem que sejam forjados para acontecer(...)”

Vão dizer: “Preparem as panelas! Vamos compartilhar nas redes sociais que quando isso tocar devemos fazer panelaço pra que ninguém escute!”
Pensa que acabou? Eles ainda hão de ouvir “ETNIA”:

“Somos todos juntos uma miscigenação
E não podemos fugir da nossa Etnia”

Eles vão ter um colapso nervoso. Vão se jogar no chão. Pegarão aquele disco de Chico, e antes de jogarem fora, gritarão: “Se tua alma pode me ouvir, eu te peço: VAI PRA CUBA!”
O ódio, assim como o medo, é ferramenta do sistema. Assim caminha a humanidade.

André Agostinho/DIRETOdosMANGUEZAIS

Nenhum comentário: