TRADUZINDO

WebRádio Cultura Viva

terça-feira, 29 de maio de 2007

Crônicas da Hipocrisia II

João (nome fictício, história real) me fez uma colocação centrada, sobre sua defesa em relação a legalização da maconha. Segundo ele, a legalização da droga torna-se fundamental, para que possamos combater o tráfico. Ainda na sua opinião, outras drogas são muito mais nocivas e ainda assim, são legalizadas. Bem... Eu só estou meio na dúvida em um ponto: João quer acabar com o tráfico da maconha ou com o tráfico de uma forma geral? É que me passou pela cabeça a seguinte situação: Se a saída de combate é a legalização, o crack, a heroína, a cocaína, o ecstasy, as armas... Tudo o que for traficado, terá de ser liberado, para que os traficantes percam a força. E tem mais. Não adianta colocar os chamados “pontos autorizados de venda”, por que aí abre-se outro leque para que as vendas clandestinas ganhem força. E adivinha quem serão os clandestinos!? Os traficantes, é claro. Ah! Outro ponto importante que ele levantou: “Há outras drogas que são muito mais nocivas e ainda assim são legalizadas”. Não sei se é do conhecimento dele, mas o alcoolismo, por exemplo, é uma doença grave. E mais: cerca de 120 mil pessoas são vítimas do cigarro no Brasil a cada ano. E mais ainda: Pessoas que não bebem e/ou não fumam também acabam sendo vítimas, como é o caso de acidentes de trânsito, agressões, fumantes passivos... Se é do conhecimento dele, não entendo o motivo dele querer a legalização de outras drogas. O álcool e o cigarro são exemplos de que legalizar não é exatamente a grande saída. Teoricamente acabaria (ou não) com o tráfico, mas socialmente continuaríamos a ser massacrados pelas lacunas que são ocupadas pelos mais fracos, através do vício. No entanto, resumindo tudo, acho que João quer a liberação, não por uma questão social. É que ele não quer mais se drogar escondido.

3 comentários:

Fabio Melo disse...

Eita que eu conheço gente assim. Parabens pelo blog.

Sandro Matias disse...

É...Até ler esta crônica, eu ate pensava q a saída era a legalização. mas realmente o tema é muito complicado.

Valentim disse...

Taí..gostei da crônica...falou muito certo. blog criativo. valeu.